sábado, 12 de abril de 2008

O Caminho (Fundo da Adega, safra 2002)


Então caminho, lentamente

Vou com passos forçadamente lentos

Como querendo assim, ritmar meus pensamentos,

- E tudo vai bem


Pelas ruas, sombras, que vejo junto ao chão,

E no horizonte, entre arranha céus de escuridão, tanta luz, tanto contraste,

Sigo satisfeito, por simplesmente ter o sol e ter a sombra,

- E tudo vai bem


Sei dos meus passos hoje,

Suponho meu caminho amanhã,

E quando são os pés que doem, me ponho a descansar,

Assim como a correr das chuvas, na pressa da vida, das ruas...

- E tudo vai bem


E se for de sentar mão com mão, com você,

Ver a vida crescer,

Compartilhar dos caminhos, por assim dizer,

Assim será, assim te terei como me tens,

E nunca abandono a certeza de que tudo,

- Tudo vai bem!




Um comentário:

janice diniz disse...

Viver com mansidão na alma e um olhar de primeira vez pro mundo... Se nos fosse possível enxergar a vida assim e como as tuas palavras mágicas, aí, sim, tudo iria bem. O texto? Excelente!


bjs