sexta-feira, 11 de abril de 2008

Dormir sem sonhar




Não, não havia mais saída,
Eu não queria mais estar aqui,
Não queria estar em lugar algum,
Não poderia cumprir tuas expectativas,
Aquelas que nem tu sabia quais eram,
Pois se as cumprisse haveria outras e outras mais,
Eu vi que nunca te preencheria,
E que não haveria sossego
E que não passaria um minuto sequer sem pensar no que poderia estar faltando
Me desdobrando em ser mais de um, em dizer sempre a palavra certa, na hora que fosse necessário.
Por isso, arrumei minhas coisas,
Juntei os pedaços do que ainda havia, algum orgulho e respeito próprio
e tomei um táxi, e joguei minhas chaves e meu celular pela janela,
e fui para a rodoviária e comprei uma passagem,
para a cidade mais distante, o primeiro ônibus que estivesse saindo,
recostei meu banco,
e já não pensava em mais nada.
Passavam as luzes da cidade ao longe,
e repeti, pra mim mesmo, tantas vezes,
que não existe uma resposta certa pra todas as perguntas...
até pegar no sono, pedindo pra não sonhar mais...

Um comentário:

Luhh Freitas disse...

estou precisando fazer isso...
sem olhar pra trás, sem pensar em nada... só seguir em frente!