terça-feira, 29 de abril de 2008

Linhas da Vida


Fiquei de ler e dizer se gostei,

Gostei e havia de estar por perto,

Estive, e havia, por certo, de escutar,

E assim fiz, e escutei que teria de sentir

E senti que já não teria como fugir,

Abri então, os olhos e vi,

Os passos que haveria de dar um dia,

As correntes que quebraria,

Os outonos, as primaveras a atravessar,

Mergulhos no mar, o mel e o sal nas bocas

As mãos dadas,

Pra gostar,

Pra querer,

Pra escutar,

Sentir,

Viver,

Então pensei em não mais pensar,

Deixar simplesmente meu destino acontecer.


2 comentários:

Luhh Freitas disse...

Ele disse: "Sem celular, sem chaves, sem amarras, sem motivos pra se prender...só respirar, liberdade, novos ares, novidades, vida..."

Ele diz: "Então pensei em não mais pensar,Deixar simplesmente meu destino acontecer"

Ela diz: ... ah! ela não precisa dizer nada, adoro! ;)

janice diniz disse...

Toda vez que compareço ao cantinho desse taberneiro sensível e inteligente me surpreendo. Hoje, duas vezes: uma fotografia muito bela e um texto rico em emoções. A concisão é uma arte, mas somente para aqueles que realmente têm algo a dizer. E tu, amigo conterrâneo, tem muita coisa a dizer, sim.

Gostei muito.

Beijão