segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Jogos Antigos



Minha vida aos teus pés,

Nosso pacto.


O tempo voa, correm os ponteiros,


Num dia cinza, as vozes altas,

Noutro dia, os ânimos baixos.


Os ponteiros voam, o tempo corre,

E os olhos não se cruzam mais...


Penso em fazer surpresa,

Hoje chego mais cedo,

Buquê de rosas no caminho.

Penso olhando o malabarista no sinal:

Minha vida, um picadeiro...


No pátio, enfeites de natal,

Na garagem, um carro desconhecido,

Sobre a mesa da sala, um terno desconhecido,

Sobre a cama...um desconhecido,

Sobre ela...


Com um Candelabro, corda, faca, revolver, cano, chave inglesa...

Coronel Mostarda, Professor Black, Senhorita Rosa...

No dormitório.


Sem detetive, nada confidencial,

Minha foto na capa do jornal,

Minha honra lavada com sangue,

Detalhes na página policial...



Um comentário:

ju peres disse...

mto bom!
(ah, meus comentários num valem, eu gosto doq cê escreve!)
^^