domingo, 26 de julho de 2009

Domingo à tarde (Edited)


Me abanou por trás do pára-brisa,

Sorriu e o ônibus seguiu pelo corredor,

Voltei ao nível do solo,

Voltei à rua,

Voltei à casa,

Voltei a mim,

E me dei conta

Que gostaria de revisitar o fim de semana que passou.

Assim, devagar,

Deslizando os dedos pelas paredes,

Voltei ao quarto,

Baixei as persianas,

Garantindo a meia luz,

Lentamente deitei na cama.

No criado mudo, ao lado, vi teus strass,

No travesseiro, comigo, alguns fios de cabelo,

Nos lençóis, no meu corpo, o teu cheiro,

Aqui, de olhos fechados, posso sentir o teu toque,

E ainda arrepiar o teu corpo (que me chama)...

E depois de lembrar,

E de sentir,

Vou pegar no sono,

Sereno,

Vou querer dormir de mãos dadas,

E acordar com beijo na boca e gemido,

Tua pele roçando a minha,

Dizendo BOM DIA!

Teus olhos felizes de tanto sonhar (e lembrar-se)...



8 comentários:

O Iluminado disse...

Que lindo esse poema... me lembro de tantas vezes que já me aconteceu de beijar o travesseiro a noite depois de um encontro :S kkkkk
abração!

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador...
Vim comprar mais um barrilde vinho da melhor qualidade! isso vicia kkkk

Sandrinha disse...

Que maravilha! Ótima descrição!
Um grande abraço!

ju peres disse...

tua descrição me inspira a descrever alguns bons momentos...
mas talvez eu ñ o faça de maneira tão sutil e suave qnto a tua ou a do jamess...
:p

seus chatos!

carina disse...

tu escreve mto bem, agora vou vir aqui mais seguido :)

gostei mesmo!

bjos CaCá.

Sandra Ribeiro disse...

Que lindo seu espaço! Palavras perfeitas, imagens belissimas, inspirador...

Rond disse...

Aaaaaaaaah que coisa mais linda que vc escreveu aí hein!
Abração.

Fabiola disse...

q momento!
adorei...
revivi um momento lindo da minha
vida...
bjão!