quarta-feira, 12 de março de 2008

Haveria de ir...um dia


Ela vai, e leva uma parte de mim,

Parte do homem que fui nos seus braços,

Do homem que seria, um dia, ao seu lado...

Ela vai, e me deixa um nó na garganta,

com uma palavra que não consegui engolir, por enquanto.

No entanto, eu sabia: ela haveria de ir embora um dia...

e neste dia,

ela leva, terna, a lembrança, ainda que remota,

do meu abraço,

do meu abstrato,

meu descompasso e

minha poesia...




2 comentários:

...Natália Monique... disse...

noossaaaaaaaaa que lindo...
digamos que na minha vida...posso trocar o ela por ele...
beijos

janice diniz disse...

Por que eles tem de ir...?
Vi teu perfil na comunidade do Fante, cliquei no teu blogue e encontrei a poesia do meu medo, o "ir embora", "o fim"... Tu escreve muito, guri.

Venha também me visitar. Prefere café ou chimarrão?

abraço

http://teofilinabermacia.blogspot.com