domingo, 26 de abril de 2009

Meu Silêncio



Hoje preciso de silêncio,

Estou cansado.

Não preciso de silêncio para dormir,

Mas para me reencontrar.


Preciso me olhar, olhos nos olhos,

E me cobrar algumas verdades,

E dizer algumas outras, verdades,

Nuas e cruas,

Assim e assado.


Preciso apagar a luz e poder me ouvir,

Respirar, compassadamente.


Preciso me entender,

E comigo ser compreensivo,

E me pedir desculpas por alguns mal feitos,

E de me perdoar, vou precisar.


Hoje preciso do meu conforto, sem o qual não vivo,

Entender meus motivos e motivações,

E olhar numa única direção,

Preciso nunca mais me afastar.


E quando me encontrar,

Vou me olhar com um olhar cúmplice,

E vou me dizer que estou em casa,

E que não suma mais, assim desse jeito...


(outubro/08)


2 comentários:

Luhh Freitas disse...

no meio desse mar de idéias... é tão difícil parar e me olhar e me entender...

Fabiola disse...

o seu silencio
é bem parecido com o meu...
é estranho ver como o que penso e sinto estão traduzidas em suas poesias , ate assusta..sabe...

um beijo!